DESTAQUES

Santa Luzia sedia Encontro Regional de Políticas sobre Drogas

Com a finalidade de debater sobre a ampliação de projetos voltados para a prevenção ao uso e abuso de álcool e outras drogas em Minas Gerais, mais de 250 lideranças e especialistas na temática participaram do Encontro Regional de Políticas sobre Drogas em Santa Luzia. A ação é fruto de uma parceria entre a Secretaria de Estado de Defesa Social, por meio da Subsecretaria de Políticas sobre Drogas e da Prefeitura de Santa Luzia.

Várias autoridades estiveram presentes, dentre elas do deputado Estadual, Léo Portela; do assessor Chefe de Gabinete da Subsecretaria de Políticas sobre Drogas (Supod), Fábio Miranda de Carvalho; dos superintendentes da Supod, Fabiane Rodrigues, Mauro Felipe e Tânit Sarsur; diretor do SOS Drogas do Centro de Referência em Álcool e outras Drogas, Luciano Pinheiro; secretário Municipal e Desenvolvimento Social de munícipio, Ocimar Carmo; do subcomandante do 35º do Batalhão da Polícia Militar de Minas Gerais, Major Evair e do diretor de Registro, Certificação e Credenciamento de Entidades, da Supod, e morador de Santa Luzia, Paulinho de Sião, que muito se empenhou para realização do Encontro.

Além do câncer, o cigarro causa envelhecimento precoce da pele

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que pelo menos um terço da população mundial adulta seja fumante. O tabagismo tem relação com vários tipos de câncer (pulmão, cavidade oral, laringe, esôfago, estômago, bexiga, colo do útero e leucemias). Fumantes chegam a ter 20 vezes mais chances de ter a doença no pulmão que não fumantes, 10 vezes mais chances de ter a doença na laringe e de duas a cinco vezes mais chances de desenvolver câncer de esôfago.
 
Ricardo Meirelles, médico pneumologista da Divisão de Controle de Tabagismo do INCA, explica que o tabagismo afeta todos os órgãos do corpo humano. “O tabagismo tem relação direta com mais de 50 doenças. Hoje é provado que não existe órgão que não seja afetado diretamente pelo cigarro. A fumaça, não só do cigarro como de outros derivados do tabaco, possui 60 substâncias cancerígenas e 4700 substâncias tóxicas", explica.
 
Entre os prejuízos causados pelo cigarro estão também os dermatológicos, como pele seca, aparecimento de rugas e queda de cabelo. O dermatologista Luciano Morgado explica o motivo: “O cigarro causa a diminuição da circulação sanguínea na pele, a vasoconstrição. Com a chegada menor de sangue no local, vão diminuindo as fibras colágenas e elásticas, que são o que dá firmeza para pele. Com isso a pele vai ficando com uma coloração amarelada e com mais rugas, principalmente ao redor dos lábios e dos olhos. Além disso, o cigarro aumenta a atividade de uma enzima que chama elastase, que no pulmão causa enfisema e na pela degrada as fibras elásticas".

Especialização em dependência química

Curso de Especialização em Dependência Química a Distância UNIAD-INPAD-UNIFESP, pioneiro na divulgação de conhecimento científico de qualidade, do aprimoramento e treinamento no campo das dependências de álcool e outras drogas psicoativas e reconhecido pelo MEC. 

O Curso tem funcionamento, sua maior parte, num ambiente virtual, onde discussões, conteúdos representativos, são cuidadosamente selecionados e disponibilizados em uma periodicidade semanal. Os alunos discutem de modo participativo e são estimulados a refletir e expandir os questionamentos com vistas a formar um pensamento independente, abrangente e  sistematizado sobre os diversos dilemas, assistência e prevenção aplicadas às dependências de álcool e drogas . O aprendizado é disponibilizado através da plataforma Moodle, que permite ampla conectividade, organização de mensagens e fácil visualização de novos conteúdos. 

Adolescentes sentem mais prazer com drogas- e são mais inclinadas ao vício

Usar drogas na adolescência costuma ser pior que usar drogas na idade adulta. A ciência sabe disso há tempos. No cérebro dos adolescentes, os danos provocados por essas substâncias costumam ser mais devastadores – elas podem fazer o órgão desviar de sua trajetória de desenvolvimento saudável, e provocar prejuízos duradouros. O uso de drogas na adolescência é considerado fator de risco para o desenvolvimento de transtornos mentais na maturidade, como esquizofrenia e transtorno bipolar. Os adolescentes também são mais vulneráveis ao vício. As razões dessa suscetibilidade são, por enquanto, um mistério. Um grupo de cientistas americanos diz ter uma explicação.