DESTAQUES

Não há espaço para discutir ideologias na luta contra as drogas

A região da cidade de São Paulo que ficou conhecida pela triste alcunha de cracolândia, na Luz, concentra centenas de pessoas que usam crack, álcool e outras drogas de forma compulsiva. Na maioria dos casos, o alto grau de dependência os impede de ter consciência sobre sua real condição. São doentes graves, que precisam de ajuda médica e psicológica. Muitos possuem comorbidades (coexistência de doenças), como Aids, sífilis, tuberculose e hepatites virais, entre outras doenças associadas.

A dependência química é uma doença crônica, tal como câncer, diabetes e hipertensão. Em estágios avançados ou quando o problema torna-se agudo, para qualquer outro problema de saúde indica-se internação hospitalar de curta ou média duração visando à estabilização do quadro. Por que então deve ser diferente com quem é usuário de drogas?

Dependência química e esquizofrenia lideram as causas de internamento

O Hospital Escola Portugal Ramalho (HEPR), unidade assistencial da Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas, (Uncisal), fechou o ano de 2014 praticamente com o mesmo percentual de internações de 2013. No ano passado foram atendidas 1.731 pessoas e no ano de 2013 o número de internações correspondeu a 1.765.

Dos 1.731 atendimentos realizados no ano passado, 1.245 foram do gênero masculino, (65.7%), e apenas 649 mulheres (34.3%) do sexo feminino. Desta totalidade, foram contabilizados quatro óbitos, (0,22%), em uma ocupação anual de 93.8%, com permanência média de 31 dias.

Especialistas defendem elevação de tributo para conter consumo de álcool

A elevação da tributação é apontada por especialistas como uma alternativa para conter o consumo descontrolado da cerveja no Brasil. Enquanto as bebidas frias, que envolvem ainda refrigerantes, águas e isotônicos, estão sem reajustes consideráveis na tributação, outros segmentos têm recebido carga bem mais pesada, como recentemente os casos da energia elétrica e da gasolina. 

No mês passado, a presidente Dilma Rousseff sancionou a lei número 13.097, que altera a tributação das bebidas frias. As novas regras vão valer a partir de 1º de maio, mas não há um detalhamento por parte da Receita Federal sobre como essa iniciativa irá impactar no preço final ou na arrecadação. De acordo com a Associação Brasileira da Indústria de Cerveja (CervBrasil), foram produzidos 14,1 bilhões de litros em 2014, representando um crescimento de 5% na comparação com 2013. 

Nível de adesão ao tratamento ambulatorial de pacientes dependentes de substâncias psicoativas

O consumo de substâncias psicoativas no Brasil é preocupante, assim como ocorre em escala mundial. A dependência de álcool e drogas é considerada uma doença crônica, o seu alvo não é a "cura", mas a abstinência, o que requer um acompanhamento prolongado. A eficácia dos tratamentos em dependência química depende do tempo que os pacientes passam em tratamento até a sua alta e o abandono é um dos problemas mais graves. O objetivo deste trabalho foi analisar o perfil sócio-demográfico e o nível de adesão ao tratamento dos pacientes do programa de álcool e drogas do Ambulatório Médico de Especialidades - AME.